Cãozinho de rua

Oi, sou o Bruce. Existem muitos momentos que marcam nossa vida. Quando fui resgatado certamente foi um deles. Mas antes do Paraíso... Teve um dia que me marcou profundamente...

Estava fazendo um sol de rachar os beiços. Já passava do meio dia. Pra um cãozinho como eu, peludo de jeito que sou, parece que o calor se duplicava. Buscava uma sombrinha, mas parecia que todas as árvores saíram correndo do sol pra se esconder. O chão fumegava minhas patinhas e eu já estava quase desmaiando quando vi uma senhora andando lentamente na calçada com um grande guarda-sol.

Já tinha visto aquilo na praia, ou guarda-chuva em dias de tempestade; mas nunca um guarda-sol grande desfilando pelas ruas. Aquilo me despertou, e fiquei acompanhando a cena. Pensei que a senhorinha e seu abrigo do sol fossem passar por mim e seguir caminho, mas ela parou; bem ao meu lado, e ficou. A sombra finalmente apareceu e cheguei até a sentir uma brisa suave penteando meu pelo.

Fiquei olhando pra senhorinha. Ela olhou uma vez pra mim, sorriu e depois voltou o olhar para observar o movimento dos carros e das pessoas que passavam. Ficamos ali, parados; abrigados do sol por um longo tempo.

Começou a entardecer. As casas e prédios começavam aos poucos a se iluminar. A senhora olhou pro céu; já não se via mais aquela bola de fogo que reinou durante a tarde. Deu meia volta, fechou o guarda-sol e foi andando com seu parceiro fiel pendurado no braço, arrastando com a ponta no chão. Parou na vendinha da esquina e comprou alguma coisa que a princípio não reparei o que era.

Se aproximou alguns passos de mim, abaixou, deixou um potinho no chão, e foi embora. Quando me aproximei do potinho ele estava repleto de água fresca. Bebi até a última gota. Ainda tentei encontra-la pelas ruas, agradecer com um lambeijo... Mas ela já devia estar longe àquela altura.