O calendário de vacinas e a importância de mantê-las em dia

Assim como os humanos, os animais podem sofrer com uma série de doenças, capazes de ameaçar suas vidas. Para evitar esse tipo de sofrimento, é preciso que as vacinas do seu animal sejam aplicadas de forma correta, seguindo o calendário de vacinação. Vale ressaltar que é preciso que este processo seja realizado e acompanhado por um médico veterinário.

 

Vacinação em cães:

 

As vacinas que devem constar obrigatóriamente no calendário de vacinação do seu cachorro são as vacinas múltiplas (v8) ou polivalentes (v10) e a vacina anti-rábica. As vacinas v8 e v10 protegem os cães de sete doenças consideradas graves: cinomose, hepatite infecciosa canina, parvovirose, leptospirose, adenovirose, coronavirose e parainfluenza canina. Já a vacina anti-rábica protege os cães contra a raiva. Algumas dessas doenças são consideradas zoonoses, ou seja, podem ser transmitadas para o homem. 

Existem outras imunizações que também são importantes. É o caso das vacinas contra a leishmaniose, a giardia e tosse dos cães.

 A forma que serão aplicadas e as datas devem ser acompanhadas por um veterinário que, de acordo com a idade e saúde do seu animal irá montar o calendário de vacinações.  A recomendação é que as vacinas comecem a ser aplicadas desde a fase filhote do cachorro, quando o organismo dele já puder receber as doses. Dessa forma ele estará protegido desde cedo e correrá menos riscos de pegar alguma doença.

O que geralmente é feito é a imunização ser iniciada com o uso de vermífugo, aos 30 dias de vida do animal. Em torno de 40 dias, ocorre a primeira aplicação de vacina, com a primeira dose da v8 ou v10. Aos 60 dias, se for o caso, vacina contra a tosse dos cães. Com 120 dias de vida, é aplicada a anti-rábica.

Durante este calendário, é realizada a repetição da dose de alguma destas vacinas. É preciso ficar atento aos prazos para realizar esta repetição.

Vacinação em gatos:

A vacinação é, sem dúvidas, o cuidado mais importante, tanto para o filhote, quanto para o gato adulto. Os animais devem ser imunizados antes de terem contato com outros animais, adultos ou filhotes. Diversas doenças podem acometê-los e são grandes causadoras de falecimento.

 

Para ser vacinado, o animal deve estar saudável e previamente vermifugado. Se o animal estiver com febre, diarréia ou doente, pode ocorrer falha vacinal, ou seja, o organismo não responde plenamente à vacinação.

 

É preciso que o animal seja avaliado por um médico veterinário, para que a aplicação seja feita de forma correta, nos intervalos certos. As vacinas múltipla (tríplice, quádrupla ou quíntupla) e anti-rábica são obrigatórias em qualquer esquema de vacinação.

 

GATOS:

Vacinas - múltipla (tríplice, quádrupla ou quíntupla) e anti-rábica

- 45 a 60 dias:

1a. dose vacina múltipla (rinotraqueíte, calicivirose, panleucopenia e leucemia felina, clamidiose)

- 21 dias após a 1a. dose:

2a. dose vacina múltipla

- a partir de 4 meses de idade:

anti-rábica

 

Gatos adultos que nunca foram vacinados ou filhotes que já passaram da época de vacinação devem receber 2 doses de vacina múltipla (intervalo de 21 dias entre elas) e 1 dose de vacina anti-rábica.